13 JUNHO 2020 | 59 KM / 1027 M+

LOCALIDADES: Carrapateira


HOTEL: Memmo Baleeira Hotel Sagres

Integrado no Parque Natural da Costa Vicentina, o hotel encontra-se rodeado de lindíssimas praias desertas e natureza selvagem de uma beleza inesquecível. Com por um ambiente descontraído, contemporâneo e de design, o hotel dispõe de restaurante, bar, lounge, piscina com uma vista magnífica sobre o oceano, área para massagens e tratamentos também equipada com sauna, ginásio e piscina interior aquecida.


FOTOS


DESCRIÇÃO DA ETAPA

Depois de 13 dias a pedalar, com paisagens, arquitecturas, gastronomias e pessoas que revelaram a grande diversidade de um pequeno país como é Portugal, estamos a dois passos de chegar a Sagres.

A etapa, apesar de curta e de estarmos à beira-mar, tem algumas dificuldades. Por um lado, uma mão-cheia de desafiadoras subidas e respectivas descidas, correspondentes às várias praias que vamos visitar. Por outro lado, bem mais imprevisível, o normalmente forte vento que se faz sentir na região. A tendência é ser de Norte e nos ajudar a chegar a Sagres. Mas por vezes sopra energeticamente de Sul.

Saindo de Vale da Telha no planalto, a primeira praia que visitamos é a Praia do Canal, frequentada normalmente apenas por pescadores e surfistas. Primeira subida do dia, a mais inclinada, mas curta, que após uma zona de descanso continua até ao marco geodésico do Cadaveiro.

Mais à frente descemos não para uma praia, mas para a Ribeira da Bordeira, para de seguida junto à Carrapateira viramos em direcção à costa. Desta vez não descemos à praia, mas percorremos um caminho panorâmico, no topo das arribas, entre a Praia da Bordeira e a Praia da Zimbreirinha. É o local ideal para acabar de encher o cartão de memória da máquina fotográfica, com vários miradouros colocados em locais estratégicos, que podemos aceder por passadiços de madeira.

Descemos finalmente para a beira-mar na praia do Amado, que vamos atravessar a pé (é proibido circular de bicicleta na areia). Do outro lado uma nova subida, que por causa de uma ribeira a meio caminho, temos praticamente que repetir a papel químico.

Vimos para o interior, até tocarmos na estrada principal (N268), onde podemos perceber de perto a força do vento no parque eólico da Lagoa Funda.

Voltamos à costa, descemos à Praia da Barriga, subimos e descemos novamente para a Praia da Cordoama, a última que vamos visitar.

Última subida da travessia, que apesar de ser em asfalto, é tão dura como as anteriores. Viramos à direita num parque de merendas e caso o vento ajude, voamos pelo planalto, a grande velocidade, vendo a vila de Sagres ficar pedalada a pedalada cada vez maior!

O percurso acaba na Praia da Mareta, onde nos juntamos a comemorar mais uma Travessia de Portugal em BTT, antes de pedalarmos os últimos metros até ao Memmo Baleeira Hotel Sagres.


MAPA E PERFIL DA ETAPA

58 km, n/a



Imprimir