4 JUNHO 2020 | 47 KM / 1247 M+

LOCALIDADES: Manteigas


HOTEL: H2otel Congress & Medical Spa

Em perfeita comunhão com o Parque Natural da Serra da Estrela, o H2otel é um moderno hotel de montanha com uma íntima ligação à natureza. Destaque para o Aquadome, inserido nas Termas de Unhais da Serra e que dispões de vários equipamentos ligados à água, saúde e bem-estar, incluindo uma enorme piscina aquecida com espaços internos e externos. O restaurante Alquimia conta com excelência da cozinha moderna com os produtos de qualidade que a região oferece.


FOTOS


DESCRIÇÃO DA ETAPA

Em pleno Parque Natura da Serra da Estrela, esta etapa é muito fácil de descrever. Uma descida, uma subida e outra descida!

Começa-se a grande velocidade, a descer pelas muitas curvas da EN232, até virarmos para terra por uma rampa até ao marco geodésico do Chão das Barcas. São 200 metros bem dolorosos! Continuamos tendencialmente a descer, por campos de pastagens e matos, que formam um mosaico bem colorido. Chegamos a um local chamado Cruz das Jogadas, uma encruzilhada de vários caminhos na zona norte da Serra da Estrela.

Mais uns metros e vamos entrar num percurso conhecido como a Rota das Faias, que como o nome indica, percorre uma densa floresta de enormes faias, além de castanheiros, pinheiros-do-Oregon e carvalhos. Mas é difícil apreciar toda esta beleza, pois a descida é cada vez mais inclinada e a velocidade muito elevada. Várias curvas e ganchos apertados obrigam a castigar os travões e a escolher bem as trajectórias. No final da descida encontramos novamente a N232, já com os braços a doer, pelo que a suavidade do asfalto sabe muito bem!

Plano é algo que não existe nesta etapa. De imediato chegamos ao Rio Zêzere e a uma zona de lazer onde é obrigatório verificar a quantidade de água que ainda temos. Vai ter início a única subida do dia. São praticamente 1000 metros de desnível que é necessário ultrapassar nos próximos 18 km, com algumas pequenas descidas pelo meio que contrastam com troços de 13% de inclinação. Nas zonas mais baixas pedalamos protegidos do Sol por uma densa floresta de castanheiros, carvalhos e pinheiros, que vai sendo substituída por arbustos de altitude à medida que vamos subido.

Acima dos 1400 metros de altitude a subida torna-se mais suave e do nosso lado direito podemos observar o imponente Vale Glaciar de Manteigas. Este vale, com 13 km de extensão, foi formado há apenas 19.000 anos, durante a última grande glaciação. Lá no fundo corre o Rio Zêzere, aqui ainda apenas um riacho de água fresca e transparente.

Chegamos ao ponto mais alto junto ao Centro de Limpeza de Neves, aos 1600 m de altitude. Terminam aqui as dificuldades da etapa, agora sempre a descer por uma estreita estrada de asfalto de montanha até ao hotel, excepto um pequeno troço em terra, a acompanhar um canal de rega. É preciso descer rápido, para aproveitar ao máximo o espectacular hotel de montanha onde vamos ficar, do qual podemos apreciar a arquitectura à medida que nos aproximamos.


MAPA E PERFIL DA ETAPA

46.6 km, n/a



Imprimir