6 JUNHO 2020 | 84 KM / 1835 M+

LOCALIDADES: Retaxo, Vila Velha de Rodão, Salavessa, Póvoa e Meadas, Castelo de Vide, Escusa.


HOTEL: Hotel Dom Manuel

Situado a 800 metros de altitude, dentro das muralhas da vila de Marvão, o Hotel Dom Manuel é um pequeno e aconchegante hotel familiar, onde encontramos com uma cozinha tipicamente alentejana.


FOTOS


DESCRIÇÃO DA ETAPA

Este é o dia em que atravessamos o Rio Tejo, que a par do Rio Douro, são os dois mais importantes que cruzam Portugal e que no passado representaram verdadeiras fronteiras ente o Norte e o Sul do país.

Apesar das melhorias das vias de comunicação, são ainda muitas as diferenças entre as margens do Tejo, que fazem a fronteira entre a Beira Baixa e o Alentejo. Na construção das casas, na gastronomia, nos sotaques e até na fisionomia das pessoas.

A etapa também se divide em duas partes principais, a descida de Castelo Branco até à travessia do Rio Tejo em Vila Velha de Rodão e a rolante subida até Castelo de Vide e Marvão, em pleno Parque Natural de São Mamede.

O dia começa com a travessia urbana de Castelo Branco, em direcção a Sul. Seguimos paralelos a três importantes vias de comunicação, a A23, o IP2 e a Linha da Beira Baixa, das quais nos afastamos em direcção ao Retaxo e iniciando aí a longa descida para Vila Velha de Rodão.

A passagem do Rio Tejo é local obrigatório para fotografar as Portas do Rodão, duas enormes formações rochosas que estreitam o Tejo a apenas 45 metros de largura.

O percurso até aqui foi muito rápido, mas até ao final da etapa ainda há algumas dificuldades. Acabámos de entrar no grande Alentejo. De início continuamos a pedalar junto ao Tejo, com uma vista espectacular sobre o grande plano de água, seguindo-se uma ligeira subida até Salavessa. O desafio do dia vem já a seguir, uma rampa de apenas 500 metros que poucos ciclistas já conseguiram vencer a pedalar. Quem se atreve a tentar?

O percurso segue sem grandes dificuldades, por estradas e caminhos rurais, entre pastagens, sobreiros e azinheiros.

Após a passagem da linha férrea do Ramal de Cáceres (onde actualmente é possível circular de “railbike”), inicia-se a subida para o castelo de Castelo de Vide, por onde vamos entrar pela Porta da Traição. É uma subida curta, mas com alguns segmentos mais técnicos, em calçada medieval e com pequenos degraus na parte final. É um castelo vivo, pois ainda há habitantes que vivem no interior das suas muralhas. Seguimos pelas ruas estreitas da vila até o centro e depois em direcção ao Forte de S. Roque, já com Marvão à vista, lá no alto.

Até ao final é praticamente sempre a subir, por estradas secundárias e um troço em calçada após Escusa, ladeados por muros de granito e grandes sobreiros. Ver Marvão lá em cima, pendurado no topo de uma montanha escarpada, chega a ser assustador. Chegamos ao topo vindos de leste, com uma vista brutal para Espanha, pois a fronteira está muito perto e percebemos rapidamente a razão de ter o castelo e as muralhas naquele local estratégico.

Os últimos metros são percorridos numa calçada medieval, abrigados por um túnel de vegetação. Entramos dentro do castelo pelas Portas de Rodão e uns metros à frente chegamos ao Hotel Dom Manuel, situado junto à muralha, com amplas vistas sobre a planície!


MAPA E PERFIL DA ETAPA

82.7 km, n/a



Imprimir