8th JUNHO 2020 | 102 KM / 1493 M+

LOCALIDADES:  Juromenha, Mina do Bugalho, Rosário, Montes Juntos, Cabeça de Carneiro, Seixo, Aldeia do Outeiro, Ferragudo.


HOTEL: Estalagem de Monsaraz

Instalada num edifício típico da região, de xisto e com pé direito baixo, faz-nos sentir como habitantes locais. Tem um pátio interior com uma piscina e vistas espectaculares sobre a região.


FOTOS


DESCRIÇÃO DA ETAPA

Hoje é o dia da etapa mais longa da travessia, um pouco mais de 100 km. Além da distância, olhar para a altimetria feita numa qualquer aplicação de forma automática pode ser assustador. Parece que vamos pedalar por uma cadeia montanhosa. Mas vendo com mais atenção, apesar das incontáveis subidas e descidas, são todas muito curtas e com pouco desnível acumulado. Mas tal não significa que algumas não sejam bem inclinadas.

Começamos a descer de forma ligeira até o Rio Caia, que atravessamos com Elvas à vista. E Elvas à vista significa que estamos junto a Espanha, cuja linha de fronteira vamos seguir de perto até Monsaraz. Essa fronteira corresponde na sua maioria ao curso do Rio Guadiana, que banhando a cidade Espanhola de Badajoz recebe as águas do Rio Caia nos arredores de Elvas, local onde também se inicia a área de influência do maior reservatório artificial de água da Europa, a Barragem do Alqueva.

Quase tocamos nas águas do Guadiana junto às ruínas da Ponte da Nossa Senhora da Ajuda, que foi destruída três vezes. A primeira por umas cheias, as duas seguintes pelo exército Espanhol, isolando a localidade de Olivença de acesso directo a Portugal. Actualmente o território de Olivença é administrado por Espanha, mas segundo um acordo de 1815 pertence a Portugal, não estando ainda definida a fronteira neste local. De momento, Portugal não reconhece a soberania Espanhola sobre Olivença, mas também não reclama a sua posse.

Questões políticas à parte, continuamos a pedalar para Sul, seguindo o curso do Guadiana, que vai ficando cada vez mais largo. Visitamos a aldeia de Juromenha, incluindo a Fortaleza e Castelo de Juromenha, debruçados sobre o rio Guadiana e dos quais se tem uma bela vista panorâmica.

Vamos alternando entre caminhos agrícolas e alguns troços de estradas secundárias, passando junto a algumas pequenas aldeias típicas, com o Alqueva sempre por perto.

Lá ao fundo, num alto, começa-se a ver as muralhas de Monsaraz e a adivinhar como será o final da etapa. Espera-nos mais uma calçada medieval, que começa no Convento da Orada e termina na Estalagem de Monsaraz, onde vamos ficar alojados, bem junto às portas da vila.


MAPA E PERFIL DA ETAPA

100.9 km, n/a



Imprimir